Satellite
Show on map
  • Day7

    Brasil - Argentina, Iguaçu - Iguazu

    August 4, 2018 in Argentina ⋅ ☁️ 18 °C

    Aterrámos na noite anterior em Iguaçu. Não vimos nada das Cataratas, mas o dia seguinte compensou. A natureza indomável. Não há palavras suficientes para descrever o que os olhos viram. Do lado brasileiro, ao chegar ao local, começa-se logo a avistá-las. Caminha-se ao longo delas, se assim se pode dizer, nas suas margens. Podem-se avistar do outro lado como se despejassem água de uma bacia larga que cai para o precipício. É possível ir até à boca e vê-las de frente ou lateralmente. De frente é a melhor maneira de tomar um banho de chuveiro. Apesar de ser inverno, passamos por pai e filho que, na desportiva, se apresentam de chinelo de dedo e fato de banho, no espírito de “Já que te vais molhar, aproveita para o fazer a sério!” A juntar à magnificência das cataratas há ainda os animais. Bem de perto vêm-se tucanos nas árvores, como se fossem os nossos melros ou popas- meios desconfiados mas fáceis de ver.
    A fronteira demorou mais tempo do que esperávamos e já só pudemos ver a imponente Garganta del Diablo do lado argentino. Para lá chegar caminha-se por cima do delta do rio sobre uns passadiços de rede forte de metal e madeira. É uma caminhada calma e silenciosa. Mergulhões, patos, tucanos, abutres e pássaros de pequeno porte e diversas cores, mantém-se ocupados, não dando importância à intrusão humana. Ao longe vê-se uma névoa, ou fumo, ou nuvem por trás da flora tropical que invade as pequenas ilhas ao longo do delta do rio. Ao chegar mais perto vê-se a água a desaparecer num sifão e, de repente, está-se em cima dela... a Garganta del Diablo. Se se fixar o olhar apenas na água que cai para o abismo parece impossível resistir-lhe. Dou por mim a pensar que antes de haver os passadiços e as guardas, seguindo o olhar mergulhava-se numa queda infinita para o abismo. Pois é assim que as vejo, ou melhor, não vejo. O fim não parece existir. Difícil de explicar este misto de emoções de respeito, loucura, beleza, fascínio e um certo calafrio. É do Diabo!
    À noite, o nosso primeiro bife argentino 👌👌!
    Read more