Be Kyan

Joined October 2016
  • Day7

    Procissão da Cláudia

    March 16 in France

    Hoje ia ser mais um dia de sol épico. A primeira descida de 11km até Meridel trouxe a adrenalina para o dia, a neve estava solta, perfeita para andar nas velocidades máxima.
    Antes de descer a fixação do Cabrita partiu-se e ele teve que voltar a Saint Martin onde estávamos alojados para arranjar a prancha.
    Íamos ficar na zona de Meridel até ele chegar. Mas ao subir nas segundas cadeiras soube que a Cláudia tinha caído, supostamente não era nada. Mas ela acabou por me ligar a dizer que não conseguia sair do sitio e que não conseguia ligar para a emergência. Desci ate um posto para pedir uma maca para ir busca-la. Fomos ter com ela, os skis em cruz alertavam para um ferido na pista.
    Quando a maca chegou descemos com ela como numa procissão. O dia de ski acabou para ela. Fiquei com ela, mais o Luis e o Valentim que se juntou a nós mais tarde. Fez uma lesão no ligamento cruzado, tem que ficar pelo menos 20 dias com uma tala no joelho. Com uma ressonância magnética já em Portugal verá os próximos passos. Esperemos que não tenha que ser operada porque ela acaba de recuperar de uma operação ao outro joelho.
    Depois de umas horas no médico fomos beber cerveja para aproveitar o sol e descemos umas últimas pistas depois de ter a certeza que ela estava no teleférico certo para voltar para casa.
    Como uma simples queda pode fazer uma lesão tão grande!
    Read more

  • Explore, what other travelers do in:
  • Day6

    Hoje o vento estava tão forte que muitos dos meios mecânicos estavam fechados. Supostamente tínhamos que ficar no nosso vale mas claro que não foi isso que fizemos. Passamos um vale e ao tentar passar o segundo fomos bloqueados, fecharam ligações para as pessoas não arriscaram a não conseguir voltar para casa como nós estávamos a arriscar. A meio do dia fomos beber uma cerveja ao Castor em Meridel. Aquela cerveja bateu-me tanto que fiquei com os copos o resto da tarde.
    Foi o primeiro dia que a Cláudia e o Puna andaram quase o dia todo connosco. Ela já está a fazer pistas vermelhas e ele já melhorou o nível.
    Hoje os cozinheiros foram o Puna, o Valentim e eu, ficou tudo maluco com o caril, uma granda salada e uns cogumelos de entrada.
    A noite acabou com uma torre.
    Read more

  • Day5

    Dia de sol

    March 14 in France

    Hoje foi sem dúvida o melhor dia, com o sol a brilhar e a neve perfeita, depois de ter nevado durante vários dias. Tudo foi perfeito, fomos a Val Thorens e de regresso passámos na La Folie Douce, um bar no meio da montanha, com música e animação para quem prefere ficar a beber a tarde em vez de fazer descidas. Claro que quem mora em Meridel pode ficar até as 17h, hora de fecho. Aliás alguns saem completamente bêbedos, nem sei como fazem a última descida. Nós temos que sair mas cedo porque a nossa casa fica no val ao lado.Read more

  • Day4

    La Tania

    March 13 in France

    Passamos de 13 pessoas para 12 pessoas. O Rogério que não esteve connosco no primeiro dia, para supostamente ir a feira do automóvel em Genève (a amiga que o foi buscar ao aeroporto devia ser muito mais interessante do que a feira) e que o Luís foi buscar depois do primeiro dia de snowboard, teve que voltar para Portugal neste dia por razões profissionais. Pagou quase 300 euros de transfere mais o bilhete de avião, que seriam pago pelo trabalho.
    Passamos parte do dia em La Tânia possivelmente a melhor parte da estância ou pelo menos a mais bonita.
    Read more

  • Day3

    Second day

    March 12 in France

    Um dia de neve e nevoeiro, não se aproveita tanto as descidas porque a visibilidade é pouca.
    A descer para Meridel, o Nuninho atrapalhou-se passou por cima da prancha do Miguel que caiu mesmo à minha frente. À velocidade que íamos, não deu para fazer grande coisa. Passaram mil coisas na minha cabeça em milésimos de segundos. Se o Miguel levasse com a minha prancha nas costas o resto dos dias não seriam os mesmos. Então atirei os pés para um lado e fui de boca contra ele. Fiquei tonta durante uma meia hora e possivelmente ficarei com a cara um pouco inchada. Mas nada partido é o que interessa.
    Ao final da tarde fizemos a Rafford, a nossa pista favorita, duas vezes e por pouco não ficávamos apeados em Meridel.
    Na última descida para casa, encontramos a Cláudia e o Puna, este estava acabado e desesperado para chegar a casa.
    Read more

  • Day2

    First Day

    March 11 in France

    Este ano somos 13, mas o Rogério ficou na feira de automóveis em Genève e temos um principiante no grupo. Quem começa este desporto sofre muito, são as mil quedas por dia, os músculos que começam a ceder, as cãibras. O Puna tinha aula ao 12h30, o Valentim, a Cláudia e eu fizemos uma descida com ele para se ambientar. Possivelmente um erro, porque subimos ao topo da montanha, sem conhecer as pistas e lá fomos nós com a melhor das intenções a ajudar nos primeiros passos. Demoramos duas horas para fazer 2 ou 3 km. Em que nas partes planas, ele teve que fazer a pé. A meio da descida ele apanhou os ovos para chegar a horas à aula.
    Claro que já estava todo partido e não aproveitou tanto a aula.
    Foi um dia com muito nevoeiro e quase sempre a chover mas tivemos sorte na última descida com um sol a espreitar depois de ter feito a nossa pista de eleição 2x (Raffort) e quase termos ficado apeados porque apanhamos a última cadeira que nos levava para casa mesmo à hora de fecho.
    Read more

  • Day1

    Viagem

    March 10 in France

    Foi um viagem longa, dormimos menos de 3 horas porque tínhamos um jantar no dia anterior. As 6h30 estavamos no aeroporto ainda com álcool no sangue.
    A viagem de avião foi a dormir, mas com stress a chegadas a Genève que fizeram com que saíssemos do aeroporto por volta das 15h.
    Queríamos chegar cedo a casa, fazer as compras da semana, montar as pranchas nas calmas, mas apanhamos tanto transito, que chegamos a casa às 20h30 com o mínimo indispensável para jantar nesse dia e tomar o pequeno almoço no dia seguinte.Read more

  • Day5

    Las Day

    January 21 in Spain

    Este é o dia da despedida, é o que da superação.
    O miúdo que começou a andar quando tinha 8 anos, hoje já é um grande atleta. O ano passado ainda, ia me mordendo os calcanhares, queixando-se que eu não travava, hoje sou eu que não o consigo apanha-lo.
    Disse-lhe que não ia atingir os 80km/h e não descansou até chegar acima dessa velocidade. Claro que com a energia de um adolescente, sem medos nem bloqueios que vêm posteriormente evoluiu sem limitações.
    Tem 16 anos e já ninguém o apanha, só quer é ir para os Alpes connosco.
    Read more

  • Day4

    Third Day

    January 20 in Spain

    Começamos o dia com uma queda espalhafatosa do Cocharro, escorregou no gelo com a prancha na mão.
    Apesar de não começarmos muito cedo, porque ninguém conseguiu acordar cedo, ainda fizemos uma 37km de pistas, uns quantos saltos e corrimões.
    A goPro do nosso amigo Cocharro não quis trabalhar hoje, por isso não há filmagens para ninguém.
    Já temos receio que ele toque nalguma coisa, para não avariar.
    Somos abençoados por mais um pôr-do-sol ao chegar ao apartamento.
    Read more

  • Day3

    Second Day

    January 19 in Spain

    Apesar de querermos começar a surfar cedo, tínhamos que mandar arranjar as botas do Cocharro e trocar as botas do Valentim que lhe estavam pequenas.
    Apanhámos um pouco de mau tempo pela manhã, com péssima visibilidade, mas mesmo assim e como já tinha a certeza, o meu sobrinho ultrapassou-me no snowboard. O minha velocidade máxima foi de 74km/h, mas ele atingiu os 76km/h, superou em tudo, é a energia dos 16 anos.
    Ainda passamos por um tuga que devias ter a bota descolada como a do Cocharro, mas não quis gastar dinheiro e colou a bota toda com fita adesiva... Estava impecável e não pagou os 20 euros pela cola.
    Read more

Never miss updates of Be Kyan with our app:

FindPenguins for iOS FindPenguins for Android