Joined October 2016 Message
  • Day9

    PR 19

    August 8 in Portugal ⋅ ⛅ 19 °C

    Já que não subiamos ao Pico, podíamos fazer a caminhada das lagoas, a maior caminhada da ilha, um percurso linear de 22km.

    Mas acordámos cansados apesar das horas que dormimos, provavelmente os 5 dias de mergulho estão a fazer moça. Por mim, podia ficar em casa o dia todo.

    Acabamos por fazer o mesmo percurso mas de mota. Supostamente não podíamos andar com a scooter alugada nessa estrada, mas fomos andando devagar.

    O início até era tranquilo, mas a verdade é que a estrada foi piorando, entre buracos e caminhos de terra com vacas atravessadas no meio do caminho não foi sempre fácil.

    Devemos ter demorado quase uma hora e meia a fazer o percurso todo de mota.
    Fiquei contente por ter ido de mota, o percurso é giro mas não deixa de ser giro por fazê-lo de mota.

    Para além de pouparmos a nossa energia, também poupamos tempo.

    O Pedro conseguiu mergulhar nesse dia. Passamos a tarde a beber cervejas numa praia das Lajes do Pico.

    Foi por sorte e por cair nas graças dos empregados que conseguimos jantar no Fonte Tavern. Foi sem dúvida um sítio memorável com uma linda esplanada e um delicioso gin de maracujá.
    Read more

  • Day9

    Calheta de Nesquim

    August 8 in Portugal ⋅ 🌙 20 °C

    Tinha reservado a casa até segunda feira, mas a proprietária cancelou os últimos dois dias, por isso temos que fazer o check out até as 11h.

    Fomos ao supermercado, fizemos as sandes, organizamos as coisas todas para subir ao Pico, só tínhamos que deixar as malas na agência na Madalena onde eles iriam nos dar as mochilas, tendas, bastões de caminhada e frontal, o resto era por nossa conta.

    Chegamos à agência ao meio dia para deixar as malas, ir a sportzone, comprar umas coisinhas que faltavam, comprar água, almoçar e ir estar na casa da montanha as 16h para iniciar a subida.

    Chegámos à agência, mas estava fechada. Ligámos aos várias números disponíveis na porta mas ninguém atendeu. Fomos beber café, continuamos a tentar ligar sem sucesso. Fomos almoçar até que me lembrei de verificar a data do voucher, 07-01-2022.

    Até me deu vontade de chorar, não sei o que aconteceu, mas só acertei no dia 07, tudo o resto estava errado.

    De mota, com duas mochilas grandes e sem sítio para ir, decidimos ir ter com o Pedro que estaria a fazer mergulho em São Roque. Pelos vistos não foi um bom dia para ele também. Esteve 4 min a 4m debaixo de água, mas teve que abortar o mergulho devido a dores de ouvido.

    Demos uma volta na freguesia da Criação Velha, característica pelas vinhas no meio dos murinhos de pedra negra e jantamos no Faia.
    Read more

  • Day7

    Mc Donald

    August 6 in Portugal ⋅ ⛅ 20 °C

    Mergulhamos em São Roque.
    Vimos o arco submerso do Mc Donald como lhe chamam a 18m de profundidade.
    O segundo mergulho foi no Cais do Pico onde fui a 18.8 de profundidade.
    Vimos um merlo, muitos cardumes.
    Almoçámos na Food truck onde comi umas favas deliciosas.
    Passamos no Cella bar e no cais do Moirato onde encontramos o Pedro, antes de jantar no
    Furubo.
    Read more

  • Day6

    SDI certification

    August 5 in Portugal ⋅ ☀️ 25 °C

    Hoje foi o último dia do curso SDI Open Water. Aliás se não corresse bem teríamos que ficar mais um dia.

    No primeiro mergulho do dia, na nossa piscina natural, tínhamos apenas que fazer alguns exercícios debaixo de água que o Gary ia pedindo, como tirar a máscara e voltar a pôr, fingir que um de nós está com falta de ar, tirar o cinto e voltar a pôr ou tirar a regulador. Foi um mergulho calmo a 12m no máximo.

    O segundo mergulho foi no Cais, era o último mergulho do curso, já não tínhamos que fazer exercícios. Só tínhamos que estar atentos um ao outro, informar quanto ar ainda tínhamos e fazer os minutos de descompressão.

    Logo de início vimos uma raia, o Valentim chegou a ver um polvo, eu vi uma linda estrela do mar branca e preta, junto a uma gruta onde morava um mero. Passamos no
    Neptune toilet, um cratera a 17m de profundidade com um diâmetro de aproximadamente 5m.

    A certa altura, as rochas caem a pique a uma profundidade que não podemos ir, é o fim da ilha do Pico. Apenas conseguimos olhar cá de cima a escuridão do fundo do oceano.

    À tarde, fomos à lagoa do Capitão e fomos jantar a Madalena no Ancoradouro, com vista sobre o Faial, um bom por do sol, mas relativamente comercial.
    Read more

  • Day5

    Casper

    August 4 in Portugal ⋅ 🌙 23 °C

    Começamos o nosso dia bem cedo com uma hora de viagem ida e volta para ir fazer o teste de covid à Madalena.

    Hoje o Gary não podia mergulhar connosco porque tinha que resolver uns problemas, por isso o nosso instrutor foi o Casper. Um holandês provavelmente mais novo que nós com uma granda onda, um pouco alucinado, mas com um enorme conhecimento técnico que nos transmitiu logo confiança.

    Fizemos duas descidas. Na primeira aprendemos a tirar e voltar a pôr a maior parte do material, como óculos, pesos, cinto.

    No segundo para além de aprender a orientação com a bussola, fizemos algumas simulações como por exemplo tive que fingir que estava com falta de ar. Mais tarde foi a vez do Valentim, que gerou uma situação cómica, porque lhe dei o meu primário, mas ele como vítima com falta de ar, conseguiu dizer que não queria o primário queria o alternativo.

    Na realidade numa situação de emergência, posso dar o que achar mais rápido, sendo que o primário pode ser a melhor alternativa porque tens a certeza que funciona, visto que estás a respirar com ele.

    Tivemos 53min debaixo de água, fomos a 15.8m de profundidade, fizemos uma safety stop de 3min aos 5m antes de voltar a superfície e correu tudo muito bem.

    Já eram quase 15h quando saímos do curso, por isso fomos só comer qualquer coisa à Prainha e descansar um pouco à sombra antes de voltar para casa, tomar um banho e seguir para jantar.

    Fomos jantar ao Magma, provavelmente o restaurante mais chique na ilha. Fui com o meu único e melhor vestido das férias. De scooter o cabelo tem que ir apanhado e por cima do vestido um casaco quente e que corta o vento do final do dia.

    O restaurante tem um vista lindíssima para o pôr do sol. Conseguimos também ver São Jorge, Faial e o Piquinho.

    Comi um peixe chamado Veja, supostamente grelhado, mas mais parecia que tinha sido feito ao sal.

    Na volta claro que tive que vestir umas calças corta vento para conseguir aguentar os 20min de scooter. Estar de scooter implica estar sempre preparado para o sol, a chuva, o vento e o frio porque não dá para nos refugiarmos no carro.
    Read more

  • Day4

    Furubu

    August 3 in Portugal ⋅ ⛅ 23 °C

    Hoje fizemos dois mergulhos, o primeiro foi para treinar a perda do regulador e como voltar a apanhá-lo, expirando o ar pela boca ou carregando no botão de purga. A troca do regulador para a alternativo e a remoção de água da máscara.

    No segundo mergulho, aprendemos como dar ar a um buddy sem ar, sem nunca esquecer que ele pode estar em pânico e temos que gerir o possível pânico.
    Entre os dois mergulhos o Gary falou nos de um restaurante chamado Furubu que aparentemente estaria sempre cheio, mas para o qual ele podia conseguir uma mesa.
    Fizemos logo uma reserva com ele para sexta - feira.

    Almoçámos mesmo ao lado do centro de mergulho numa food truck, antes de seguir caminho. Fomos de aldeia em aldeia parando nas piscinas naturais de lava, no meio de aldeias feitas de pedras de lava, realçadas com as suas portadas vermelhas.

    Da aldeia do Cabrito, passando pelo Arco, Lajedo e acabando no Cachorro, património mundial, cada uma com o seu encanto, calma e energia.

    As 20h tínhamos jantar marcado na Casa da Feijoca mas quando chegámos e encontramos lá o Gary com um dos mergulhadores e uma italiana que estava a passar uma temporada no Pico, é que percebemos que o restaurante fazia parte de um turismo local que se chamava O Farrobo, que da boca do Gary parecia, Furubu.
    Read more

  • Day3

    Open water

    August 2 in Portugal ⋅ ☁️ 24 °C

    Hoje foi o primeiro dia do nosso curso de mergulho SDI open water. Na realidade já fizemos a parte teórica on-line em casa, por isso temos umas noções básicas.

    Este curso é relativamente novo em relação ao PADI. É derivado do TDI, um curso avançado para mergulhar em grutas.

    A maior parte da manhã, foi a escolher o material adequado, a aprender a montar o material. A sofrer para tentar vestir o fato de 7mm ao ponto do Gary ter que me mandar água com sabão para dentro do fato. E no meio da embrulhada do fato ainda fui picada por uma abelha que o Valentim tentou sugar o veneno e cuspir.

    Como existe uma piscina natural mesmo junto à escola, o exercícios são logo feito no mar e não numa piscina.
    Isso quer dizer que desde o primeiro dia vemos a natureza aquática.

    Ao início foi um pouco agitado com subidas e descidas um pouco descontroladas. O objetivo do dia de hoje era buoyancy/flutuação.

    Ainda chegámos aos 10m de profundidade e tivemos direito a passar por um túnel, até que de repente o Valentim sobe sem querer e acabamos por subir todos e acabar o curso para o dia.

    Almoçámos no restaurante Aço e como estava mau tempo deste lado da ilha, mas segundo as webcam do lado da laje do Pico estava sol, atravessamos a ilha à procura do sol.

    Mal chegámos fiquei logo atraída pelos letreiro a dizer whale and dolphins watching. Claro que não resisti e passado 10min estamos a espera da saída do próximo barco. Com o bilhete mais barato por ser comprado na última meia hora. Ficamos sem saber se é verdade ou se era um desconto como os vinhos do Continente.

    A primeira espécie que vimos foram golfinhos comuns a caçar. Eles formam um círculo a volta de um cardume para caçar mais facilmente. Algumas gaivotas acabam por aproveitar também.

    Passado mais umas milhas encontramos dois cachalotes na superfície, infelizmente não conseguimos filmar o seu mergulho porque o Valentim pousou a máquina nesse momento para beber água e como elas desaparecem a mais de mil metros debaixo de água durante 40min também não sabemos onde vão voltar a aparecer.

    Na volta, encontramos umas baleias piloto, que devem o seu nome à fêmea que comanda o grupo e uns moleiros. Uma espécie de golfinhos bem agressivos, que nascem todos cinzentos, mas de tanto lutarem uns com os outros ganham muitas cicatrizes ficando cada vez mais brancos. Os machos lutam entre eles porque há menos fêmeas e depois mordem a fêmea ao acasalar.
    Read more

    PipsMauricio

    esse jovem é como o Noah..ahhaha anda p tras só hahaha

    8/6/21Reply
     
  • Day2

    Rent me

    August 1 in Portugal ⋅ 🌧 23 °C

    Tomámos o pequeno almoço por volta das 9h com a vista para a nossa próxima etapa, o Pico.

    Seguimos logo a seguir para o ferrie que vinha bem composto para a Madalena do Pico.
    Há mais de um mês que já não há carros para alugar, por isso tivemos que alugar um scooter. Há uma semana atrás, reservámos a última. Ao conversar com a senhora da Pico24, onde alugamos a scooter, ela confirmou que o Pico nunca viu tanto turismo e não estava preparado para isso. Eles inclusive compraram mais uma scooter.

    Ela soube também de um turista que no dia anterior tinha dormido na rua porque não tinha arranjado sítio para dormir.

    De mota é toda uma perspectiva diferente, o cheiro, a vista, parece que estamos mais em comunhão com a natureza.

    Depois de almoçar no Âncora, fomos às piscinas de São Roque, mas não durou muito, porque de repente o tempo muda completamente e começa a chover. Aí a mota deixa de ter graça, tivemos que ir ao supermercado à chuva e voltar para casa a ver se melhorava um pouco.

    Para jantar tínhamos marcado um restaurante do outro lado da ilha, não sabíamos era que o tempo não ia estar a nosso favor. Acabámos por seguir o combinado dando a volta à ilha para ir jantar ao Faia. Um restaurante de alemães, onde os clientes eram quase todos amigos alemães e onde o covid não chega e nem os empregados usam máscara.

    Um sítio lindíssimo com uma vista maravilhosa, possivelmente devem avistar baleias porque o próprio restaurante tem uns binóculos que os clientes podem usar.

    Mas confesso que nos virem servir à mesa sem máscara mesmo ao ar livre não me deixou completamente à vontade.
    Read more

  • Day1

    HortAnima

    July 31 in Portugal ⋅ ⛅ 23 °C

    Depois de uma escala em São Miguel seguimos para o Faial. Possivelmente haveria voos de Lisboa para o Pico, mas como nem sabia, não me dei ao trabalho de procurar.

    Comprámos apenas o voo para São Miguel e pedimos o voo de encaminhamento. Como não haviam voos de encaminhamento disponíveis para o Pico, decidimos ficar uma noite no Faial.

    Foi um bom início de férias, na piscina do hotel a relaxar antes de ir jantar na Taberna do Pim. Numa pequena baía que recebe os últimos raios de sol da Horta.

    Foi um jantar agradável apesar da desorganização dos empregados que lhes valeu um sermão bem desagradável da mesa do lado.

    Terminamos o dia no festival HortAnima, a ouvir um concerto dos Superbox, uma banda de covers boa para trazer animação a todo o tipo de pessoas que parava no centro da vila.
    Havia outro palco com um concerto disponível apenas para quem se conseguisse aproximar de barco.
    Read more

  • Day9

    Sr. Genuino

    May 1 in Portugal ⋅ 🌧 16 °C

    Não estávamos com vontade de vir embora, por isso ainda tentámos mudar o nosso voo de encaminhamento que partia do Faial no dia seguinte, para que partisse diretamente de São Jorge. Infelizmente os horários não coincidiram e tivemos mesmo que apanhar o barco ao meio dia para o Faial.

    Voltámos a encontrar a Isabel Neto que se queria sentar ao pé de nós e as amigas do Cayoning das Flores que iam para o Pico.

    Chegados ao Faial com um temporal terrível, acabamos por alugar um carro e dar a volta à ilha à chuva.

    Paramos apenas na ponta dos Capelinhos, um pedaço de terra que foi acrescentado à ilha do Faial há 58 anos atrás devido a mais de um ano de erupções sucessivas.

    Visitámos a exposição de interpretação dos vulcões com toda a explicação do que aconteceu e subimos ao farol, agora inativo, que foi destruído pelos vulcões mas também deixou de ser a ponta da ilha.

    Lanchámos no Peter's um delicioso queijo amanteigado do morro e jantámos no Sr. Genuino, o único português e décimo a nível mundial que deu a volta ao mundo sozinho de veleiro. Não deu apenas uma volta aos 50 anos, passado uns anos foi dar uma segunda volta.
    Read more

Join us:

FindPenguins for iOSFindPenguins for Android